Unidade móvel do INEFP forma 60 cozinheiras

Com as atenções viradas ao desenvolvimento turístico que está a registar-se, bem como visando suprir as dificuldades locais em mão-de-obra treinada no sector, o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP), Delegação provincial da Zambézia, está a levar cursos profissionalizantes a diferentes distritos, em parceria com os respectivos governos e outros actores do mercado.Foi assim que, no passado dia 22 de Janeiro, um total de 67 candidatos a emprego e auto-emprego foram graduados nas áreas de cozinha, empregado de mesa, corte e costura, no Distrito fronteiriço de Milange, na Província da Zambézia, cujos cursos vinham decorrendo desde o ano passado, com recurso a uma unidade móvel do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP), no âmbito da Estratégia governamental de expansão de oportunidades de formação a mais cidadãos, nomeadamente que se encontram longe dos centros urbanos ou zonas que dispõem de centros ou escolas de formação profissional.Trata-se de candidatos, na sua maioria jovens e mulheres, que foram formados num módulo intensamente prático e com baixa carga teórica, cuja efectivação foi em coordenação com o Governo do Distrito de Milange, tendo o INEFP trabalhado com a Associação Ossamuliza, após um trabalho de prospecção do mercado local, que resultou na descoberta de áreas de actividade que precisam de resposta imediata, localmente, em termos de provisão de mão-de-obra treinada, isto é, que sabe fazer algo e, para o caso vertente da restauração e turismo, que se apresentou como uma das prioridades nesse contexto. A Ossamuliza trabalha com extractos sociais vulneráveis no distrito de Milange, nomeadamente crianças, adolescentes e jovens carenciadosDos 67 graduados destacaram-se 60 candidatas do sexo feminino, que foram treinadas como cozinheiras e empregadas de mesa, bem como 5 homens, enquanto na especialidade de corte e costura foram graduadas candidatasO curso durou dois meses, tendo sido, os beneficiários, submetidos a outras acções formativas, como matéria complementar, neste caso a disciplina de Gestão de Pequenos Negócios, de forma a capacitá-los para, após terminarem com a sua formação, sobretudo aqueles que não forem absorvidos pelo mercado formal, estarem à altura de criar ou gerir o seu próprio negócio, que é uma componente do auto-emprego.Esta não foi a primeira acção formativa naquele Distrito da Zambézia, através de uma unidade móvel, sendo que nos princípios do ano passado também foram formados técnicos na especialidade de serralharia, em resposta ao pedido formulado pelas autoridades locais, dada a demanda do mercado e o desenvolvimento que o distrito está a registar em diferentes vertentes económicas.Em relação ao mercado de emprego, a Zambézia efectuou, durante a semana passada, 203 novas admissões, todas directamente nas empresas, das quais 98 para postos permanentes e 105 temporários, distribuídos pelos sectores do comércio (com 82 candidatos absorvidos), Construção Civil (48), 27 na agricultura, 19 nos serviços e no turismo 17. Um outro foi encaminhado para um estágio pré-profissional, com vista a ganhar experiência prática para ingressar no mercado de emprego.