INEFP reforça cursos de agro-processamento para a empregabilidade dos jovens

A reestruturação dos cursos ministrados pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP), tendo em conta a base económica nacional, vai conhecer novo ímpeto, com a entrada de mais actores e parceiros de cooperação na concepção e apoios técnico e financeiro no processo.Tal é o caso do apoio do Governo do Império do Japão, que concedeu um apoio financeiro de cerca de 420 Milhões de Meticais, ou seja, 6 milhões de dólares norte-americanos, em forma de donativo, cujo contrato foi assinado esta Segunda-Feira em Maputo, pelo Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), através do Director-Geral do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP), Anastácio Chembeze, e o Governo do Império do Japão, através de Katsuyoshi Sudo, Representante Residente da Agência Japonesa para a Cooperação Internacional (JICA) em Moçambique.A cerimónia foi testemunhada pela ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Dias Diogo, bem como do Embaixador do Japão em Moçambique, Akira Mizutani, o PCA da Autoridade Nacional de Ensino Profissional, quadros do MITESS, da JICA, parceiros sociais, e formandos de alguns centros de formação profissional da cidade e Província de Maputo.Discursando na ocasião, Vitória Diogo disse que foi por reconhecer que a agricultura é a base do nosso desenvolvimento que o Governo tomou a responsabilidade de reestruturar e modernizar a formação profissional, para assegurar que os curricula respondam aos perfis profissionais demandados pelo mercado do trabalho.A aposta do Governo, segundo a ministra, é de preparar os jovens e potenciá-los com conhecimentos e habilidades que os permitam competir em pé de igualdade no mercado de trabalho, numa economia global, assim como para serem também capazes de desenvolver iniciativas empreendedoras, criando o seu auto-emprego.Pior sua vez, Akira Mizutani, Embaixador do Japão, garantiu que o seu país continuará a intervir na área de formação de jovens para o mercado de trabalho, tendo em conta que é só assim que os países se desenvolvem. O diplomata japonês recorreu a um provérbio e exemplo do seu país, segundo o qual todo o sucesso e o segredo do desenvolvimento de um país está na componente humana, mais concretamente na formação dos recursos humanos.O programa ora acordado nesta parceria, com a duração de quatro anos e que contará também com a participação de especialistas brasileiros, iniciará a sua execução em Junho próximo, podendo vir a beneficiar três mil jovens, anualmente, espalhados em 27 cursos.As Províncias de Maputo, Nampula e Zambézia são as que vão beneficiar deste pacote, tendo sido seleccionados os respectivos centros de formação profissional. Em Maputo será o Centro de Formação Profissional da Machava, através do desenvolvimento de programas de formação, capacitação de formadores em Moçambique e no Brasil, a requalificação das infra-estruturas, bem como o apetrechamento com equipamento moderno, nas áreas de metalomecânica e construção civil.O Centro de Formação Profissional de Quelimane desenvolverá programas de formação, capacitação de formadores em Moçambique e no Brasil, a requalificação das infra-estruturas e o apetrechamento com equipamento moderno, nas áreas de agro-processamento e construção civil. Enquanto isso, no Centro de Formação Profissional de Nacala serão desenvolvidos, igualmente, programas de formação, capacitação de formadores em Moçambique e no Brasil, bem como a construção de duas oficinas e o apetrechamento nas áreas de agro-processamento, construção civil e a metalomecânica.