INEFP forma mestres comunitários nos distritos

Termina amanhã, no Centro de Formação Profissional do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP), na cidade de Pemba, Província de Cabo Delgado, o curso de capacitação pedagógica e técnica de 43 mestres das comunidades rurais, provenientes de seis comunidades de três Distritos, nomeadamente Chiure, Palma e Montepuez, no âmbito do Projecto TREE-KOICA, apoiado pela KOICA (Korea Internacional Cooperation Agency – Agência coreana para a cooperação internacional) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Os mestres que amanhã terminam com a sua formação profissional, tiveram uma capacitação pedagógica elementar que lhes permitirá, especificamente, compreender e utilizar os instrumentos de planificação e de gestão pedagógica do projecto, para além de 35 horas de formação técnica, de actualização em áreas do saber consideradas essenciais para o desempenho da sua função de formadores.

Trata-se de mestres que têm um papel fundamental na formação prática dos jovens das comunidades rurais, devendo, para integrar a equipa, deter mais de 10 anos de experiência profissional, possuir ou frequentar uma oficina ou espaço de trabalho devidamente equipado, uma posição consolidada no mercado local e serem pessoas idóneas e reconhecidas na comunidade.

As áreas abrangidas na formação técnica, nesta primeira fase de formação, foram a carpintaria, construção civil-pedreiro, corte e costura, electricidade instaladora, reparação de motorizadas, pintura de construção civil e cabeleireiro/barbeiro. A capacitação pedagógica abrangeu os mestres de todas as áreas profissionais.

Importa recordar que este projecto, designado "Qualificações para a promoção do Emprego e da Produtividade em países de baixo rendimento”, foi lançada oficialmente na capital do país, no ano passado, com garantias de que a formação esteja ligada às oportunidades económicas e de emprego, bem como assegurando que os grupos mais vulneráveis, especialmente os jovens, mulheres e pessoas com deficiência, possam aproveitar essas oportunidades para a melhoria da sua renda e subsistência.

A metodologia usada, TREE, serve para promover a emancipação económica dos beneficiários finais e está a ser desenvolvido em três etapas, razão pela qual uma equipa mista da OIT e INEFP primeiramente fez o levantamento de diagnóstico de oportunidades económicas e de negócio nas regiões abrangidas, para posterior formação e aprendizagem informal, culminando com um apoio pós-formação aos beneficiários, incluindo para a criação do próprio emprego ou empresa, assim como na procura activa de emprego, com base num “coaching” personalizado.