Estágios pré-profissionais viabilizam emprego de candidatos

O sector privado, através das respectivas empresas, está a aderir, de forma encorajadora, ao esforço do Governo visando a preparação de jovens em formação ou recém-formados para o mercado laboral, através de providência de estágios pré-profissionais, cujo Regulamento, aprovado pelo Conselho de Ministros, através do Decreto nº 35/2013, de 2 de Agosto, já está em implementação, visando a promoção da facilidade de empregabilidade dos jovens.Na Província da Zambézia, só em Julho passado, por exemplo, 268 jovens candidatos a emprego, maioritariamente do sexo masculino, 225 dos quais para o emprego e os restantes para orientação profissional, muitos deles após concluírem diversas formações académicas e profissionais, foram acolhidos em diversas empresas espalhadas pela Província, para um estágio profissional com vista à aferição das suas competências teóricas, através da prática, seguindo-se do ingresso no mercado laboral, que vem se caracterizando exigente, sobretudo face à nova dinâmica sócio-económica.Alguns estagiários, inclusive, acabaram ficando nas respectivas empresas, após terem convencido os gestores das empresas onde estagiaram sobre as suas capacidades e competências profissionais.No período em referência, o mercado laboral zambeziano criou 2.903 vagas de emprego, tendo 2.678 sido preenchidas através de admissões directas nas empresas, enquanto outros fizeram-no por via das colocações efectuadas pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP). A meta daquela província central do país 51.691 empregos até ao final do corrente ano, em diversas áreas de actividade, com destaque para os sectores agro-pecuário, construção civil, serviços e comércio.No que toca à formação profissional, virada para o emprego e auto-emprego, o INEFP e outras instituições de formação profissional, entre públicos e privados, também vêm-se adaptando ao mercado, numa filosofia de formação com base na procura, conferindo competências para o ingresso no mercado de emprego. Algumas especialidades têm garantido resposta imediata no mercado de emprego local, bem como em matéria do auto-emprego, por parte dos candidatos, como são os casos de contabilidade, secretariado executivo, electricidade, serralharia civil, mecânica - auto, refrigeração, pintor de construção civil, pedreiro de construção civil, canalização, carpintaria, horticultura e electrotecnia.O Regulamento sobre os Estágios Pré-Profissionais é um instrumento que tem sido apontado como tendo vindo introduzir inovações no mercado do trabalho em Moçambique, do ponto de vista de empregabilidade de jovens, mulheres e outras camadas sociais, através da sua integração em unidades produtivas, com o objectivo de adquirirem a experiência de trabalho, sobretudo tendo em vista o seu ingresso no mercado de trabalho.A experiência, antes deste instrumento, vinha mostrando que no mercado nacional, grosso modo, alguns factores criavam a dificuldade em os jovens conseguirem o emprego, pela primeira vez, como por exemplo a exigência de experiência profissional de muitos anos, para empregar um candidato, um requisito descrito como difícil de preencher, sobretudo por parte de jovens que acabam de se formar ou de concluir os seus estudos, isto é, que nunca alguma vez estiveram no mercado de emprego.