IFPELAC prevê formar mais de 165 mil cidadãos

De 2015 até à data, 436.273 cidadãos nacionais beneficiaram de formação profissional, de um total de 694.085 previstos no Programa Quinquenal de Governação. Deste número, o Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC) contribuiu com 45.654 formandos.Estes dados foram avançados na segunda-feira, 16 de Abril, em Maputo, pela ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Dias Diogo, durante a abertura do curso de Gestão Escolar para Centros de Formação Profissional do IFPELAC.De acordo com a governante, só no primeiro trimestre de 2018, este instituto, sob tutela do Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), formou 40.452 cidadãos, na sua maioria jovens, dos quais 14.219 são mulheres.“Estes números correspondem a 24.5% da meta anual de 165.414, o que representa um crescimento na ordem de 12% em relação ao período homólogo de 2017”, assegurou.Sobre o curso de gestão escolar ora iniciado, Vitória Diogo explicou que se trata de uma acção levada a cabo pelo MITESS, através do IFPELAC, que decorre no âmbito da implementação do Projecto de Aperfeiçoamento do Modelo de Educação Profissional em Moçambique (2017-2021), avaliado em cerca de seis milhões de dólares norte-americanos.“Este é um projecto que se materializa dentro de uma abordagem de cooperação triangular, em que o Governo do Japão, através da JICA (Agência Japonesa de Cooperação Internacional), disponibiliza o financiamento, o Governo do Brasil, através do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), dá assistência técnica e Moçambique, através do IFPELAC, recebe e implementa”, explicou.Dirigindo-se, adiante, aos formandos, Vitória Diogo lembrou que “o mercado do trabalho está cada vez mais exigente, pelo que cada um de vós deve valorizar este investimento e a oportunidade de melhorar os vossos conhecimentos, para um melhor desempenho individual e consequentemente institucional”.Igualmente presente na cerimónia de abertura, o embaixador do Japão em Moçambique, Toshio Ikeda, destacou, por sua vez, os objectivos do apoio que o seu País disponibiliza ao Projecto de Aperfeiçoamento do Modelo de Educação Profissional em Moçambique (2017-2021).Referiu, durante a sua intervenção, que “este projecto surge no âmbito de uma cooperação técnica entre o Governo do Japão, através da JICA, e o IFPELAC, com vista ao reforço do sistema de educação profissional”.“Queremos, com o nosso envolvimento, melhorar a qualidade da formação e da mão-de-obra qualificada, por forma a satisfazer as necessidades do mercado de trabalho, de modo a garantir um continuo crescimento social de Moçambique”, garantiu.O curso está destinado aos gestores dos centros de formação profissional, nomeadamente directores, supervisores, secretários escolares dos centros de formação, gestores de processos escolares e administrativos. Importa referir que este curso, com duração de 60 dias, irá beneficiar 50 quadros e formadores de todas as províncias, subdivididos em três grupos, nomeadamente dos gestores dos centros, responsáveis pedagógicos e de secretarias dos Centros de Formação Profissional do IFPELAC.