A Formação é força motriz para transformação da sociedade

SEGUNDO VITÓRIA DIOGO

 

Formação é força motriz

para transformação da sociedade

 

A governante fez este pronunciamento, quinta-feira última, durante a entrega de uma Unidade Movel, as chamadas “Escolas que Andam”, no distrito de Marara, provincia de Tete, que beneficiarão a 24 formandos dos cursos de Serralharia e Electricidade. 

 

A formação do capital humano está no epicentro do desenvolvimento de Moçambique, razão pela qual consta dos cinco pilares do Programa Quinquenal do Governo, pois é no homem que reside a força motriz para a transformação da sociedade e de um país.

É por reconhecer o papel vital que a formação profissional exerce que o Governo decidiu fazer reformas estruturais, fundindo o antigo INEFP e o IELAC, criando o Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), uma instituição vocacionada para a provisão de formação profissional ao nível nacional.

Atendendo o objectivo acima indicado (formação profissional) que beneficia, principalmente, a população jovem das zonas rurais que em 2015 o executivo criou o programa de alocação de Unidades Moveis as chamadas “Escolas que Andam” nos distritos para dotar a população local de competências profissionais. 

Foi neste contexto que foi entrega mais uma Unidade Móvel no distrito de Marara, província de Tete para providenciar a população local formação nas áreas de Serralharia e Electricidade durante dois meses, sem nenhum custo.

Segundo a Ministra do Trabalho, Emprego e Seguranca Social, Vitória Diogo, intervindo na entrega da unidade no distrito de Marara referiu que as unidades móveis tem uma componente social forte, pois permitem alcançar população jovem, carenciada e que residem em zonas recônditas deste país.

Na ocasião, disse que através de uma outra Unidade Móvel de Agro-processamento alocada ä província em 2015, formou-se até a data 265 jovens nos distritos de Angónia, Changara, Tsangano, Chiúta, Chifunde e Zumbo. Com a nova Unidade, espera que se alcance todos os distritos e abranja o maior número de beneficiários. Até ao momento formados 4.494 beneficiários nas Unidades Móveis espalhadas pelo país, assegurou Vitória Diogo.

Aos jovens beneficiários recomendou que encarem a oportunidade com responsabilidade, explorando ao máximo o que os formadores têm para transmitir, colocando questões em caso de dúvidas, para que no final do curso obtenham ferramentas necessárias e sejam profissionais com habilidades e atitudes, capazes de oferecer serviços de qualidade a comunidade, e consequentemente gerar emprego para outras pessoas.

Para o efeito, apelo a todos para a conservação, manutenção e bom uso deste equipamento. Aos formadores, a responsabilidade do vosso lado é maior para assegurar formação com qualidade e competitividade, de modo a engrandescer este investimento do Governo.

 

A governante fez este pronunciamento, quinta-feira última, durante a entrega de uma Unidade Movel, as chamadas “Escolas que Andam”, no distrito de Marara, provincia de Tete, que beneficiarão a 24 formandos dos cursos de Serralharia e Electricidade. 

 

A formação do capital humano está no epicentro do desenvolvimento de Moçambique, razão pela qual consta dos cinco pilares do Programa Quinquenal do Governo, pois é no homem que reside a força motriz para a transformação da sociedade e de um país.

É por reconhecer o papel vital que a formação profissional exerce que o Governo decidiu fazer reformas estruturais, fundindo o antigo INEFP e o IELAC, criando o Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), uma instituição vocacionada para a provisão de formação profissional ao nível nacional.

Atendendo o objectivo acima indicado (formação profissional) que beneficia, principalmente, a população jovem das zonas rurais que em 2015 o executivo criou o programa de alocação de Unidades Moveis as chamadas “Escolas que Andam” nos distritos para dotar a população local de competências profissionais. 

Foi neste contexto que foi entrega mais uma Unidade Móvel no distrito de Marara, província de Tete para providenciar a população local formação nas áreas de Serralharia e Electricidade durante dois meses, sem nenhum custo.

Segundo a Ministra do Trabalho, Emprego e Seguranca Social, Vitória Diogo, intervindo na entrega da unidade no distrito de Marara referiu que as unidades móveis tem uma componente social forte, pois permitem alcançar população jovem, carenciada e que residem em zonas recônditas deste país.

Na ocasião, disse que através de uma outra Unidade Móvel de Agro-processamento alocada ä província em 2015, formou-se até a data 265 jovens nos distritos de Angónia, Changara, Tsangano, Chiúta, Chifunde e Zumbo. Com a nova Unidade, espera que se alcance todos os distritos e abranja o maior número de beneficiários. Até ao momento formados 4.494 beneficiários nas Unidades Móveis espalhadas pelo país, assegurou Vitória Diogo.

Aos jovens beneficiários recomendou que encarem a oportunidade com responsabilidade, explorando ao máximo o que os formadores têm para transmitir, colocando questões em caso de dúvidas, para que no final do curso obtenham ferramentas necessárias e sejam profissionais com habilidades e atitudes, capazes de oferecer serviços de qualidade a comunidade, e consequentemente gerar emprego para outras pessoas.

Para o efeito, apelo a todos para a conservação, manutenção e bom uso deste equipamento. Aos formadores, a responsabilidade do vosso lado é maior para assegurar formação com qualidade e competitividade, de modo a engrandescer este investimento do Governo.