Mineiros recebem pensões de previdência social em casa

Mineiros recebem pensões de previdência social em casa Os antigos trabalhadores moçambicanos nas minas da Africa do Sul, suas viúvas e dependentes passam a receber pensões e outros benefícios de previdência social aqui em Moçambique com a inauguração, semana finda, em Xai-Xai, província de Gaza do escritório da MineWorkers Provident Fund instituição que presta assistência social aos mineiros de Moçambique, Lesotho, Swazilândia, Malawi e Zimbabwé.A inauguração do referido escritório representa o culminar de um processo negocial iniciado em 2015 entre o governo moçambicano e sul-africano no sentido dos ex mineiros, suas viúvas e dependentes receberem as pensões da previdência social no território moçambicano.A Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitoria Diogo, que dirigiu a cerimonia de inauguração do escritório, explicou, aos beneficiários, que recebeu orientações claras do Presidente da República, Filipe Nyusi, para resolver o dossier e minorar o sofrimento de milhares de concidadãos que trabalharam na terra do rand, mas que não conseguiam receber o dinheiro descontado para previdência social.Foi preciso arregaçar as mangas e iniciar as negociações de forma firme para que a contra parte, governo sul-africano e a MineWorkers tomassem à peito a situação e procurassem mecanismos de se estabelecerem em Moçambique, porque era preciso terminar com as deslocações dos ex mineiros para tratar da sua previdência social na África do Sul, disse a ministra.A governante explicou ainda que para garantir segurança e transparência no processo os valores dos beneficiários serão depositados nas respectivas contas bancárias. E como forma de dotar aos ex mineiros, viúvas e dependentes de conhecimentos sobre gestão de negócios, a ministra orientou o Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), antigo INEFP, a ministrar cursos gratuitos sobre a matéria.Aos parceiros, MineWorkers, apelou que carreguem nos seus ombros o sentimento de cada pessoa e durante 24 horas por dia, os desafiou a pensarem em criar melhores condições e fáceis mecanismos processuais para usufruírem dos seus direitos.Na mensagem lida na ocasião, os mineiros disseram que com a inauguração do escritório sofrimento deles estará minimizado em termos de deslocação de homens e mulheres para o território sul-africano em busca dos respectivos direitos que vezes sem conta não conseguiam devido a falta de alguns requisitos, viagens em péssimas condições e com escasseie de dinheiro para custear o transporte, alojamento e alimentação.Outra vantagem avançada pelos mineiros está relacionada ao facto de poderem fazer o acompanhamento dos valores depositados nas contas antes de terminarem os respectivos contratos.     O CEO da MineWorkers, Mkuseli Mbomvu, destacou o facto deste ser o primeiro escritório da companhia seguradora aberto fora do território sul-africano para uma empresa que existe desde 1989. A razão da abertura do escritório em Moçambique está relacionado ao facto de a maioria dos mineiros (100 mil) assegurados pela MineWorkers serem provenientes da província de Gaza. Também, segundo Mbomvu, é uma forma de mostrar que as autoridades sul-africanos já mais se esquecerão do contributo dado pelos moçambicanos em prol do crescimento económico da terra do rand.